//

Notícias

»

Arquivo da categoria "ACEUV"

  1. Informativo Sicredi ao Investidor Urbano

    Cenário Econômico

     

    Na economia internacional, a trajetória da política monetária nas principais praças financeiras não teve alterações, apesar da aceleração da inflação global, impulsionada pela valorização dos preços das commodities.

     

    No campo fiscal, o governo apresentou um forte superávit em janeiro (R$36,7 bilhões) - melhor resultado para o mês desde o início da série, iniciada em 2001. O bom resultado renova a confiança no atingimento da meta fiscal de 2017.

     

    O ambiente interno favorável, a perspectiva positiva para a aprovação das reformas estruturais e a manutenção do preço das commodities em patamar valorizado continuaram beneficiando a nossa taxa de câmbio (R$/US$). Apesar disso, mantemos nossa visão de R$ 3,40/USD ao término de 2017.

     

    Os últimos dados de atividade econômica, referentes ao último mês do ano passado, reforçam a nossa visão de uma queda de 0,5% do PIB do último trimestre de 2016. No entanto, seguimos vendo elevação de 0,3% no PIB em 2017, especialmente pela forte queda nos juros.

     

    O processo de desinflação permanece ocorrendo nos primeiros meses do ano, com dados inflacionários surpreendendo para baixo. Alteramos nossa projeção para 4,3% ao fim de 2017 devido a surpresas nos dados de inflação, à perspectiva de atividade ainda fraca e à manutenção da taxa de câmbio (R$/US$) em patamar valorizado.

     

    O Banco Central voltou a reduzir em 0,75 p.p. na reunião de fevereiro, colocando a taxa em 12,25% a.a.. Acreditamos que ele manterá este ritmo nas próximas reuniões devido à desinflação disseminada, à atividade ainda fraca e à baixa expectativa de inflação. Projetamos que a taxa Selic atingirá 9,50% a.a. ao término de 2017. Apesar disso, não descartamos a possibilidade de as quedas começarem a ser 1 p.p. por reunião e a taxa de juros fechar em 9,00 % a.a.

     

    Mercado Financeiro: Dolar

     

    No mercado cambial, o real seguiu apresentando valorização, atingindo as mínimas recentes, para encerrar o mês próximo a R$ 3,10/US$, ante os R$ 3,14/US$ do final de janeiro. Este resultado foi favorecido pelo movimento nos preços das commodities e pela manutenção da agenda positiva que o Brasil vem apresentando, na qual estão inseridas as privatizações e reformas estruturais.

     

    Importantes riscos devem ser monitorados para a sustentação deste movimento, quais sejam: (i) a aceleração nas altas de juros nos EUA; (ii) as medidas a serem implementadas pelo presidente norte-americano, Donald Trump; (iii) eleições na Europa, com atenção especial para a força que a extrema direita vem apresentando na França; e (iv), no Brasil, a concretização da reforma da Previdência e a continuidade da Lava-Jato, além dos desdobramentos da delação dos executivos da Odebrecht.

     

    Bolsa

     

    A nova alta do Ibovespa, de 4% em fevereiro, também segue a agenda positiva do país, com o mercado se movendo, estruturalmente, para uma maior alocação em bolsa, após um período de incertezas nos últimos anos.

     

    A despeito disso, riscos como os apresentados acima - isto é, implementação das reformas da Previdência e Trabalhista, Operação Lava-Jato, medidas econômicas de Donald Trump, e eleições na Europa e China - devem ser monitorados, podendo dificultar avanços adicionais da bolsa brasileira.

     

    Juros Futuros

     

    Em fevereiro, o Banco Central do Brasil repetiu o movimento do mês anterior, reduzindo em 0,75 ponto percentual a taxa Selic, para 12,25% ao ano. Essa decisão foi sustentada pelo arrefecimento dos índices de preços – incluindo redução nas expectativas de inflação – e evidências de uma retomada gradual da atividade econômica. Com essa leitura, o mercado vê a autoridade monetária estendendo o movimento de queda da taxa básica de juros, levando-a para 1 dígito ainda neste ano.

     

    É importante destacar que este movimento de juros mais baixos deverá ser estrutural, considerando a aprovação e a implementação de reformas, especialmente aquelas de natureza fiscal. Diante disso, a curva nominal de juros futuros e a curva de juros reais apresentaram queda em toda a sua estrutura.

     

    Investimentos

     

    Mesmo diante de Juros (taxa Selic) a um dígito para o final de 2017, a renda fixa continuará sendo um excelente investimento em termos de rentabilidade versus risco no Brasil. Isto ocorre pelo fato do que realmente importar em um investimento ser o juro real nele obtido, ou seja, o quanto a aplicação remunera acima da inflação. Por exemplo, em 2015, a taxa Selic era de 14,25%, enquanto que o IPCA (inflação) fechou em 10,67%, assim o juro real neste exemplo ficaria em 3,23% ao ano. Assim, consideramos que mesmo que a taxa básica de juros caia aos projetados 9,50% ao final do ano, o juro real - se a inflação convergir para os também projetados 4,2% -, ficará em 5,08% ao ano, bem acima do observado em 2015. Logo, podemos perceber que não necessariamente pelo fato de o juro ser menor, a remuneração também o será. Por outro lado, neste novo cenário, os investidores que desejam ter retornos mais expressivos em seus investimentos, terão que assumir maiores riscos ao escolher os produtos.

     

    Oportunidade: Executive Crédito Privado

     

    O Fundo de Investimento Executive Crédito Privado é um produto de renda fixa, com baixo nível de risco, que busca rendimentos acima do CDI. Sua carteira é composta, basicamente, por títulos de crédito de instituições financeiras/empresas de primeira linha. Por aliar segurança e boa remuneração, o Executive Crédito Privado é uma ótima opção para diversificação de seus investimentos. E o melhor de tudo: quando você precisar resgatar seus recursos, seu dinheiro estará disponível em conta corrente no dia seguinte à solicitação.

     

    Aproveite já e invista no Sicredi Internet ou diretamente na sua agência.

     

    Conheça mais um produto que nós temos pra você: MasterCard Black

     

    Com este cartão, o portfólio de produtos para pessoa física fica ainda mais completo, juntando-se aos cartões Internacional, Touch, Gold e Platinum das bandeiras MasterCard e Visa. O novo produto é destinado a um público seleto, que valoriza viagens, entretenimento e experiências diferenciadas.

     

    Entre os diferenciais do Cartão Sicredi MasterCard Black estão serviço de concierge (assistência pessoal 24 horas) em viagens, teatro e restaurantes e, também, acesso a 500 salas vip de aeroportos ao redor do mundo, por exemplo. Outro atrativo é o programa de benefícios que proporciona ofertas diferenciadas. A cada valor gasto equivalente a US$ 1, o associado ganha dois pontos. Depois de acumulados, os pontos podem ser trocados por produtos e serviços, como passagens aéreas.

     

    O Cartão Sicredi MasterCard Black é aceito no Brasil e no exterior, além de contar com tarifa mais competitiva, quando comparada com as adotadas pelo mercado. Outro atrativo ao usar o cartão é que o associado do Sicredi contribui para o desenvolvimento da sua região.

     

    Palavra de Especialista

     

    Estudos apresentados pelo mercado de Previdência Privada apontam que oito em cada dez aposentados se arrependem de não terem se preparado financeiramente para esta fase da vida. Isso pode ser entendido como uma consequência direta, obviamente, da falta de planejamento e do imediatismo do consumo. Além disso, a Previdência pública é pauta diária em todos os veículos de comunicação em virtude dos recorrentes déficits anuais do sistema. Como alternativa a esse cenário, o Sicredi oferece aos seus associados planos de Previdência Privada que atendem aos mais diversos perfis de investidor, desde o conservador ao mais arrojado. Os planos podem investir em fundos 100% renda fixa, índice de preços (inflação) ou renda variável (ações), com taxa de administração que pode chegar a 0,7% a.a., conforme regras e regulamentos de cada plano.
     
    (GUSTAVO VANZETTA, coordenador de produtos seguros e previdência Corretora de Seguros Sicredi)

  2. O Sicredi é o melhor lugar para você investir.

    O Sicredi é o melhor lugar para você investir. Veja como é fácil participar:

     

    - Associados Pessoa Física: A cada R$ 200,00 aplicados = 1 elemento raspável (poupança ou depósito à prazo).

     

    - Associados Pessoa Jurídica: A cada R$ 1.000,00 aplicados = 1 elemento raspável (poupança ou depósito à prazo).

     

    Aqui você poupa, ganha raspinhas na hora e pode levar diversos prêmios para casa.

     

    image001

  3. Operação Carne Fraca – Nota Urgente

    A Breyer e Cia Ltda, classificada legalmente como Entreposto de Mel e Cera de Abelhas, não é frigorífico e não trabalha com produtos cárneos.


    Após ter sua habilitação de exportação suspensa, recebeu a auditoria da força tarefa do Ministério da Agricultura que, no dia 22 de março em suas conclusões, expôs claramente que não há irregularidades nos processos de qualidade na empresa e emitiu parecer favorável à liberação da suspensão.


    Até o presente momento o Ministério da Agricultura ainda não se manifestou oficialmente quanto à liberação desta suspensão.


    É urgente e necessário que o Ministério da Agricultura preste esclarecimentos ao mercado internacional de forma rápida e precisa, para que os danos ao setor apícola brasileiro não sejam irreversíveis, pois diante do equívoco praticado contra a Breyer, diversos clientes internacionais demonstraram preocupação e podem tomar medidas drásticas para impedir o consumo do mel brasileiro na Europa e demais países, conforme notícias recebidas pela empresa.


    O Ministério da Agricultura está realizando os esclarecimentos relacionados ao setor da carne, mas ainda não desfez o equívoco relacionado ao setor do mel e dos produtos apícolas brasileiros.


    Quanto à investigação de corrupção, a empresa prestará todos os esclarecimentos necessários para elucidar este equívoco, considerando seu histórico de idoneidade em 38 anos de trabalho.

  4. Exclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS

    No dia 15 de março de 2017 o STF decidiu que o ICMS não compõem a base de cálculo do PIS e da COFINS. Esta decisão será replicada para todos os processos judiciais em trâmite.


    O debate judicial referia-se a interpretação do termo “faturamento”. As empresas optantes pelo Lucro Real e pelo Lucro Presumido estão obrigadas ao recolhimento do PIS e da COFINS sobre o faturamento.


    A Receita Federal entendia que faturamento corresponde ao total das receitas recebidas pela empresa, inclusive o ICMS destacado na nota fiscal. Com isso, o ICMS era tributado pelo PIS e pela COFINS.


    Diante da decisão do STF, as empresas optantes pelo Lucro Real e pelo Lucro Presumido, poderão excluir o ICMS do faturamento para então calcular o valor devido do PIS e da COFINS.


    Importante destacar que a União pediu a modulação dos efeitos desta decisão. Explico, modulação dos efeitos é quando o STF determina a partir de que momento a decisão terá validade.


    Em decisões recentes o STF vem aplicando a modulação dos efeitos da seguinte forma: A decisão tem validade imediata, porém só poderá recuperar os valores indevidamente pagos no passado as empresas que tiverem ação judicial em trâmite.


    Neste caso, somente as empresas que possuem processo judicial sobre o tema terão direito a recuperar os valores indevidamente pagos no passado, sendo prejudicadas as empresas que não entraram com ação judicial.


    Atenta aos interesses e direitos de seus associados, antes do julgamento do STF, a ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE UNIÃO DA VITÓRIA – ACEUV impetrou mandado de segurança coletivo, em favor deu seus associados, pleiteando a exclusão do ICMS e do ISS da base de cálculo do PIS e da COFINS.


    Desta forma, como certamente a decisão proferida pelo STF será replicada no mandado de segurança coletiva da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE UNIÃO DA VITÓRIA – ACEUV, nossos associados terão resguardado o direito a recuperar os valores indevidamente pagos nos 5 anos anteriores a data da propositura da ação.


    Ressaltamos que, apesar da decisão do STF ter validade geral, as empresas ainda não podem deixar de recolher o PIS e a COFINS sem a inclusão do ICMS em sua base de cálculo. Deve-se aguardar normativa da Receita Federal para tanto.


    Ainda, ressaltamos que para recuperação dos valores indevidamente pagos no passado, deve-se aguardar o julgamento do mandado de segurança coletivo da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE UNIÃO DA VITÓRIA – ACEUV, e seu trânsito em julgado para então iniciar os procedimentos de recuperação dos créditos.


    (Leandro Takaki, advogado, especialista em Direito Tributário, do escritório Melo Advogados Associados.)

  5. Senac União da Vitória oferece o curso: Negociação e Excelência em Vendas

    Objetivo: Propiciar aos participantes informações referentes às etapas do processo de negociação enfocando sua importância para o sucesso no fechamento da venda.


    Carga horária: 15h


    Valor do curso: R$ 165,00


    Período: 15/05/2017 à 19/05/2017 - 19h às 22h


    Conteúdo: Planejamento e processo da negociação; A comunicação no processo negocial; Estilos de negociador; Estratégias e táticas de negociação; Etapas do processo de negociação: preparação, abertura, exploração, apresentação, clarificação, ação final, controle e avaliação; Como transformar as necessidades em benefícios; Como superar objeções; Estratégias para fechamento na negociação/venda; Dando continuidade ao trabalho de pós-venda.


    Maiores informações ligue no (42) 3522-4781 ou dirija-se até o 2º andar do prédio da Caixa Econômica Federal, rua Dr. Cruz Machado, 493, no centro de União da Vitória.



    Sem Título-4

  6. Senac União da Vitória oferece o curso: Marketing Pós-Venda e Fidelização

    Objetivo: Apresentar o marketing de relacionamento e sua aplicação no pós-venda visando a fidelização de clientes.

     

    Carga horária: 15h

     

    Valor do curso: R$ 165,00

     

    Período: 03/04/2017 à 07/04/2017 – 19h às 22h

     

    Conteúdo: Fases da venda (pré-venda, venda e pós-venda); Comportamento do consumidor (pessoa física e jurídica); Fatores internos (motivação, aprendizagem, percepção, atitudes e personalidade); Fatores Externos (família, classe social, grupos de referência e cultura); Pesquisa de satisfação de clientes (tipos, coleta e tabulação de dados, análise de gráficos e relatórios); Marketing de relacionamento (definição e aplicações); Fidelização (conceito, sistemas, importância e desafios).

     

    Maiores informações ligue no (42) 3522-4781 ou dirija-se até o 2º andar do prédio da Caixa Econômica Federal, rua Dr. Cruz Machado, 493, no centro de União da Vitória.

     

    Sem Título-14

  7. NOTA EXPLICATIVA OFICIAL

    A Associação Comercial e Industrial de União da Vitória tem o prazer de informar não só a seus associados, mas também a todas as empresas de nossa amada cidade que logramos êxito, em parceria com nossa Assessoria Jurídica, em suspender os efeitos do Decreto 442/2015, emitido pelo Governador Beto Richa.

     

    O referido decreto foi editado em fevereiro de 2015 para estabelecer a exigência do pagamento antecipado de ICMS no momento da entrada no território estadual de bens ou mercadorias destinadas à comercialização ou à industrialização. A taxa é referente ao diferencial da aplicação das alíquotas interna e interestadual nas operações que tenham origem em outra unidade da federação, sujeitas à alíquota de 4%, instituída por meio da Resolução 13/2012 do Senado Federal.

     

    Segundo o advogado responsável pelo caso, Rafael Weiss Brandt, o juiz afirmou que “eventuais diferenças entre a alíquota interestadual e a alíquota interna não podem ser exigidas das associadas da impetrante (ACEUV) pelo Estado destinatário (Paraná)”.

     

    Isto significa, em outras palavras, que qualquer Associado da ACEUV, desde que submetido ao Regime Tributário do Simples Nacional, não poderá sofrer a cobrança desse diferencial de alíquota.

     
    Entre em contato conosco e associe-se!

  8. MUDANÇA NÚMERO DE TELEFONE ACEUV

    A  ACEUV  comunica a mudança do número de atendimento telefônico. O atendimento passa a ser feito  através do  42 – 3522-2032. Agradecemos a compreensão.

  9. Daniel Henrique Breyer é reeleito presidente da ACEUV

    Com a maioria de votos, Daniel Henrique Breyer foi reeleito  presidente da Associação Comercial e Empresarial de União da Vitória (ACEUV), para o biênio 2016/2018.  A eleição ocorreu das 12h às 20h de sexta-feira, 25, na sede da entidade. Seu vice-presidente é o engenheiro Cledson Kmitta.

     

    Jovem empresário de União da Vitória, farmacêutico industrial por formação, Daniel, 37 anos,  esta a frente de uma das mais tradicionais empresas familiares da região, a Breyer e Cia.

     

    Seus dois primeiros anos de mandato foram marcados pela  firmação da entidade como legítima representante da classe empresarial, intercedendo de maneira a promover o desenvolvimento econômico e social de nossa região.

     

    Breyer contribuiu para reativação do Observatório Social de União da Vitória, foi responsável também pela concretização da parceria entre prefeitura, ACEUV e Sebrae para a Sala do Empreendedor , da instalação da Ponto de Atendimento ao Empreendedor do Sebrae em conjunto com o CDL, realizou – com o CTG -  a 7 ª e 8ª edição da Festa Nacional da Costela, parceria com a Pormade em palestras e juntamente com a Associação Empresarial de Porto União  apoio ao projeto de Hortifruticultura.

     

    Para os próximos dois anos, o presidente pretende desenvolver    Desenvolver a atividade do Serviço de Apoio Empresa e Estudante (SAEE), promovendo a inserção no mercado de trabalho de alunos de instituições de ensino básico e técnico, através do programa de estágio e do projeto Jovem Aprendiz. “Quero continuar promovendo um trabalho que some com o executivo e legislativo municipal pela promoção do desenvolvimento de nossa região”.

     

     

    DIRETORIA  

     

     

    CARGO NOME
    Presidente Daniel Henrique Breyer
    Vice-Presidente Cledson Kmitta
    Diretor de Comércio Daniel Sliwinski
    Diretor de Indústria Bruno Lenci
    Diretor de Prestação de Serviço Edson Marcos Caesar Filho
    Diretor de Agropecuária Valter Cano
    Diretor de Finanças Silvio Silvério dos Santos
    Diretor de Relações Públicas Robert William Malucelli
    Diretora de Depart. De Est. Sócio-Econ. e Inf. Marcos Weiss

     

    CONSELHO DELIBERATIVO – ACEUV
    NOME  
    Carlos Henrique Agustini  
    Marco Adriani Strle  
    Hilário Magnani  
    Maria Salette Rodrigues de Melo  
    Lodenir Canelo  
    Renan Henrique Cardoso Senff  
    Ruy Woehl  
    Willliam Woeltje  
       
       

     

     

    Conselho da Mulher Empresária – CEME de União da Vitória

     

    CARGO                                       NOME

    Presidente                                   Kelly Walck

    Vice-Presidente                           Maria Salette Rodrigues de Melo

    1 ª Secretária                             Eliane Rocha

    2ª Secretária                             Irene Mitzko

    Tesoureira                                   Luciane Rodrigues

    Relações Públicas                    Mábile Lucília Bernardini

    Conselheira                              Sitamar Brittes Dalmas

     

    Fonte: Assessoria de Comunicação – ACEUV

    Daniel Breyer e o ex-presidente da ACEUV, Hilário Magnanui após o encerramento das votações

    Daniel Breyer e o ex-presidente da ACEUV, Hilário Magnani após o encerramento das votações

  10. Associados elegem na sexta-feira nova diretoria da ACEUV

     

    Acontece na sexta-feira, 25 de novembro,  das 12h às 20h, na sede da Associação Comercial e Empresarial de União da Vitória (ACEUV)  a Eleição para a Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo e Conselho da Mulher Empresária da entidade para a gestão 2016/2018.   A chapa é única e quem concorre a reeleição é o empresário Daniel Henrique Breyer, tendo como vice –presidente, o engenheiro Cledson Kmitta.

     

    Em seus dois anos de mandato, Breyer contribuiu para reativação do Observatório Social de União da Vitória, foi responsável também pela concretização da parceria entre prefeitura, ACEUV e Sebrae para a Sala do Empreendedor , da instalação da Ponto de Atendimento ao Empreendedor do Sebrae em conjunto com o CDL, realizou – com o CTG -  a 7 ª e 8ª edição da Festa Nacional da Costela, parceria com a Pormade em palestras e juntamente com a Associação Empresarial de Porto União  apoio ao projeto de Hortifruticultura.

     

     

    Votação

     

    A votação acontece das 12h às 20h na sede da Aceuv, situada na rua Dom Pedro II, n° 303. Estão aptos a votar todos os associados da entidade.

     

    DIRETORIA  

     

     

    CARGO NOME
    Presidente Daniel Henrique Breyer
    Vice-Presidente Cledson Kmitta
    Diretor de Comércio Daniel Sliwinski
    Diretor de Indústria Bruno Lenci
    Diretor de Prestação de Serviço Edson Marcos Caesar Filho
    Diretor de Agropecuária Valter Cano
    Diretor de Finanças Silvio Silvério dos Santos
    Diretor de Relações Públicas Robert William Malucelli
    Diretora de Depart. De Est. Sócio-Econ. e Inf. Marcos Weiss

     

    CONSELHO DELIBERATIVO – ACEUV
    NOME  
    Carlos Henrique Agustini  
    Marco Adriani Strle  
    Hilário Magnani  
    Maria Salette Rodrigues de Melo  
    Lodenir Canelo  
    Renan Henrique Cardoso Senff  
    Ruy Woehl  
    Willliam Woeltje  
       
       

     

     

    Conselho da Mulher Empresária – CEME de União da Vitória

     

    CARGO                                       NOME

    Presidente                                   Kelly Walck

    Vice-Presidente                           Maria Salette Rodrigues de Melo

    1 ª Secretária                             Eliane Rocha

    2ª Secretária                             Irene Mitzko

    Tesoureira                                   Luciane Rodrigues

    Relações Públicas                    Mábile Lucília Bernardini

    Conselheira                              Sitamar Brittes Dalmas

     

    Fonte: Assessoria de Comunicação – ACEUV

     

    img_0024